[unable to retrieve full-text content] As manifestações da cultura afro se tornaram Patrimônio Cultural Imaterial de Uberaba. O decreto 1341, publicado no dia 17 de novembro no jornal oficial do Município, inclui os Ternos de Congados, Moçambiques, Afoxé, Catupé e Vilão no Livro de Registro das Formas de Expressão, apresentado pelo Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba (Conphau). A informação foi divulgada pela Prefeitura na última sexta-feira (24). De acordo com a administração, decreto acompanha a Lei Municipal nº 10.717, de 17 de dezembro de 2008, que estabelece as normas de proteção do patrimônio cultural imaterial de Uberaba. Conforme a lei, as manifestações culturais ficam sujeitas às diretrizes de proteção estabelecidas, considerando ser dever do poder público conceder proteção especial aos bens culturais de natureza imaterial do município que justifiquem o interesse público na sua preservação. Para o presidente da Fundação Cultural de Uberaba, Antônio Carlos Marques, o decreto é muito importante para as manifestações da cultura afro porque os grupos passam a ter respaldo por parte da cidade e, de alguma forma, destaca uma vertente cultural que corre o risco de ser deixada de lado.

Fonte da materia :G1 Brasil
Decreto torna manifestações da cultura afro Patrimônio Cultural Imaterial de Uberaba 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts recentes