O executivo da J&F Ricardo Saud, que também é delator, disse aos procuradores que o ex-governador do Rio Sérgio Cabral pediu propina em troca da entrega de uma fábrica de outra empresa, a BRF, uma fábrica que estava ociosa no interior do estado do Rio. O dinheiro, de acordo com o delator, foi usado na campanha ao governo de Luiz Fernando Pezão, do PMDB.Ricardo Saud: ‘Então quanto que é isso, Sérgio?’. Ele falou: ‘Vamos ficar entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões de propina’. Eu falei: ‘Você está louco. Que isso’. Aí acabamos chegando em R$ 30 milhões. Entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões. Acabamos fechando em R$ 27,5 milhões. Esse dinheiro nós fechamos e uma parte grande foi para eleição do Pezão e uma parte grande para a eleição dos candidatos a deputado dele. Ele tinha interesse em fazer vários deputados. Até porque a gente está vendo aí hoje que ele teria vontade de se cercar.Pergunta: O Pezão participou dessa negociação?Saud: Não. Não posso ser injusto com o Pezão. Eu tive com o Pezão algumas vezes. Nunca tratei. Até porque eu não consigo fazer isso com ele. Nunca tratei um centavo com o Pezão.Saud: R$ 20 milhões de propina dissimiladas em doações oficiais. Os outros R$ 7,5 milhões foi tudo em propina. Desculpa. Propina, tudo foi. Foi em espécie, em dinheiro vivo.
Luiz Fernando Pezão disse que não vai comentar. A defesa de Sérgio Cabral informou que só vai se manifestar na Justiça. A BRF declarou que por uma mudança na estratégia de negócios da empresa, desistiu da fábrica e a devolveu em 2014 ao governo do Rio.

Fonte da materia :G1
Delator diz que Cabral pediu propina em troca da entrega de fábrica ociosa

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tópicos recentes