O motorista que matou o estudante de medicina André Moraes Arantes, de Araçatuba (SP), em um acidente de trânsito em maio de 2010, em Sorocaba (SP), foi condenado a sete anos de prisão em regime semiaberto nesta sexta-feira (26). O julgamento no Fórum de Justiça durou quase 14 horas. Enrico Augusto Della Dea, 28 anos, foi condenado por homicídio doloso – quando há intenção de matar – e homicídio doloso tentado, já que ele estava com a ex-namorada no carro e colocou outras vidas em risco. Della Dea vai responder em liberdade e seu advogado, Mario Del Cistia, disse que vai recorrer da decisão.Della Dea chegou ao Fórum por volta de 9h10 desta quinta-feira (25) e não quis falar com a imprensa. Pela manhã foram ouvidas as testemunhas de acusação e a tarde, as de defesa. Na sequência, o próprio acusado foi ouvido pelo juiz.Ele negou que tenha ingerido bebida alcoólica no dia do acidente, disse que estava dentro do limite de velocidade permitido pela avenida e que não passou no sinal vermelho, como disseram as testemunhas.
O júri popular teve início às 9h quando o promotor – que faz a acusação – e o advogado de defesa acompanharam o sorteio dos jurados.O casoA batida foi em um cruzamento no bairro Campolim, na Zona Sul de Sorocaba, no dia 1º de maio de 2010. Della Dea, que era estudante de administração e dirigia uma BMW, teria avançado o sinal vermelho em alta velocidade e atingiu o carro do estudante, que capotou várias vezes.
O impacto foi tão forte que arrancou o motor do carro da vítima, que estudava no campus de Sorocaba da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Segundo o médico legista, a causa da morte foi o rompimento da artéria aorta.A família de André chegou ao Fórum pouco após as 9h. A mãe da vítima, Gilda Arantes, conversou com o G1 antes de entrar para o julgamento. “Venho atravessando um deserto nessa expectativa de justiça para que o rapaz responda pelo o que fez. A gente precisa que isso termine para a gente possa encerrar esse luto. Sempre vai faltar um pedaço em toda a comemoração. Era meu caçula”, disse.
O suspeito não passou pelo teste do bafômetro, mas a Polícia Militar encontrou diversas garrafas de cerveja dentro do veículo que ele dirigia.
Em 2012, a defesa do acusado tentou evitar que ele fosse a júri popular. Os advogados queriam provar na época que André fazia manobras perigosas antes dos carros baterem em Sorocaba.* Com informações de Marco Antônio Calejo, da TV TEM Sorocaba

Fonte da materia :G1
Motorista que matou estudante é condenado a sete anos de prisão

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conselho Nacional de Babalorixas e Yelorixas
Conselho Nacional de Babalorixas e Yelorixas
Tópicos recentes